domingo, 16 de dezembro de 2012

São Vicente: pouco conhecido, Mirante Niemeyer proporciona uma das mais belas vistas da Baixada Santista

Mirante Niemeyer, em São Vicente - São Paulo - Por Tito Garcez
Mirante Niemeyer, em São Vicente (Fotos de julho de 2012)
(CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIÁ-LAS / CLICK ON IMAGES TO ENLARGE THEM)

Há alguns dias, o Brasil e o mundo perderam uma de suas principais personalidades da área da arquitetura. Oscar Niemeyer projetou, principalmente no país, dezenas de obras que se transformaram em ícones nacionais. Várias viraram, inclusive, importantes pontos turísticos. Em se tratando do turismo, decidi preparar um relato que mostra uma das construções que deve ser das mais "tímidas" e desconhecidas do arquiteto, contudo, o seu destaque fica por conta de outra coisa. Já saberemos...


Vista da baía de Santos a partir do mirante Niemeyer, em São Vicente
Vista da baía de Santos a partir do mirante Niemeyer


Monumento Niemeyer, em São Vicente - São Paulo
Mirante Niemeyer 
A cidade de São Vicente, localizada na Baixada Santista, no estado de São Paulo, estando a 61 km da grande São Paulo, foi  a primeira vila fundada no Brasil, em 1532, por Martim Afonso de Sousa, tendo dado início à colonização portuguesa no país. Sendo assim, ela é considerada a primeira cidade brasileira. Mas, apesar desse importante título, pouco restou do que foi construído naquela época. Parte disso se deve ao fato que, em 1542, a vila sofreu com o avanço do mar, e, também, por conta das construções posteriores à transferência de localização da sede da vila terem sido descaracterizadas com o passar do tempo.



Orla de Santos vista a partir do mirante Niemeyer, em São Vicente
Orla de Santos vista desde o mirante




Apesar de São Vicente ter perdido parte importante de sua história, a cidade reserva alguns pontos de interesse turístico. Os principais são a Ponte Pênsil, que, construída em 1914, foi a primeira construção nesse estilo a ser totalmente idealizada e montada no país; o Morro Voturuá, também conhecido como 'da Asa Delta', que pode ser acessado através do teleférico que tem como base a praia do Itararé; e o mirante Niemeyer.




O Mirante Niemeyer

Ele está localizado na ilha Porchat, mais especificamente ao final da Alameda Ary Barroso. A ilha por si só já pode ser considerada um interessante atrativo turístico que merece ser visitado. As ruas tranquilas e arborizadas são reduto de alguns prédios residenciais, bem como algumas mansões, boates, hoteis e restaurantes. O mirante, oficialmente chamado de 'Memorial dos 500 Anos de Descobrimento', foi inaugurado em 2002. Estando a 76 metros de altura acima do nível do mar, a construção se projeta a 17 metros após a encosta. Da construção em forma de asa côncava, que como eu disse é uma da mais tímidas do arquiteto, o destaque fica para a vista que pode proporcionar ao visitante.


Memorial dos 500 Anos, em São Vicente
Mirante Niemeyer

A partir do mirante, é possível visualizar boa parte das orlas tanto de São Vicente quanto de Santos. Essas duas cidades são conurbadas, ou seja, na prática não se nota onde uma começa e onde a outra termina. Vale destacar que essa região praiana é muito visitada tanto por moradores de grande parte do estado de São Paulo, afinal ali existem algumas das praias mais acessíveis, como também por turistas de outros estados e países. Essa última questão se deve principalmente ao fato de o porto de Santos ser considerado, além do maior porto cargueiro da América Latina, o que possui maior movimentação de navios de passageiros.


Vista das baías de São Vicente (esquerda) e de Santos (direita) desde o mirante Niemeyer , em São Vicente
Vista das baías de São Vicente (esquerda) e de Santos (direita) desde o mirante Niemeyer 


Vista da orla de Santos desde o mirante Niemeyer, em São Vicente
Vista da orla de Santos a partir do mirante Niemeyer


Bem, é possível passar alguns minutos apreciando principalmente praias como a dos Milionários e a do Gonzaguinha, na baía de São Vicente, bem como a do Itararé, a de José Menino e a de Gonzaga, na baía de Santos. É possível ver, também, o morro da Asa Delta e o teleférico, além, é claro, do 'skyline' (paisagem de edifícios) formado por construções que fazem com que as cidades sejam duas das que possuem orlas mais densamente povoadas no Brasil. De lá, é até possível ver, com muita boa vontade, parte da Ponte Pênsil.


Ilha Porchat e parte da baía de São Vicente desde o mirante Niemeyer, em São Vicente
Ilha Porchat e parte da baía de São Vicente vistos a partir do mirante


Paisagem de São Vicente vista a partir do mirante Niemeyer, em São Vicente
Paisagem de São Vicente


Enfim, apesar da simplicidade da construção em si, uma visita ao lugar vale a pena principalmente por conta da  sua principal razão de existir: ser um mero mirante sobretudo para as paisagens que fazem parte da primeira cidade do país. Essa é uma motivação mais do que merecida. E, por ter sido projetado por nada mais nada menos que Oscar Niemeyer, considero que São Vicente, bem como a Baixada Santista como um todo, recebeu um presente duplo. Por enquanto, essa é a única construção projetada por ele, já construída em todo o litoral paulista. Há que se valorizar, não é?! :)


Termômetro em cima de prédio da ilha Porchat, em São Vicente
Termômetro no alto da ilha Porchat, em São Vicente



quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Salvador: Apreciando o espetacular pôr-do-Sol na Barra

Pôr-do-Sol na baía de Todos-os-Santos, em Salvador
Pôr-do-Sol na baía de Todos os Santos, em Salvador  (Fotos de novembro de 2012)
(CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIÁ-LAS / CLICK ON IMAGES TO ENLARGE THEM)

Se há uma capital brasileira que é conhecida por ter uma das maiores orlas, ela é São Salvador da Bahia, ou, melhor dizendo, simplesmente Salvador. Também conhecida pela grande história e pela rica cultura, a primeira capital brasileira é um dos destinos mais visitados por turistas do país e de fora dele. O meu primeiro relato sobre a cidade não poderia fugir das belezas naturais, então nada melhor do que falar sobre o famoso pôr-do-Sol na Barra. Mas antes abordarei um pouco sobre esse bairro.






Pôr-do-Sol na Barra, em Salvador
Pôr-do-Sol visto da Barra
Pôr-do-Sol na Barra, em Salvador
Final de tarde na baía de Todos os Santos

























A Barra

Localizada especificamente na ponta da península onde se encontra Salvador, a Barra tem uma localização estratégica. De um lado do bairro está o oceano Atlântico e, do outro, está a baía de Todos os Santos, a maior dentre as existentes em território brasileiro. O legal é que, para os que curtem praia, há opções para todos os gostos. No lado oceânico, em razão das ondas, dá até para surfar na praia da Barra. Já para quem curte uma praia com águas mais tranquilas, a do Porto da Barra, que fica em frente à baía, é a ideal. Contudo, apesar da tranquilidade das águas, essa última possui uma pequena extensão, portanto, é uma das que possuem o metro quadrado mais disputado por banhistas sobretudo aos finais de semana e feriados. Já para os que gostam de mergulhar, a praia que fica ao lado direito do Forte de Santo Antônio da Barra (Farol da Barra) é ótima para essa prática.  


Fragata ancorada na baía de Todos os Santos vista desde a Ladeira da Barra, em Salvador
Fragata ancorada na baía de Todos os Santos vista desde a Ladeira da Barra

Esse é um dos mais tradicionais bairros da cidade e é, também, um dos mais charmosos e famosos. Reduto de famílias tradicionais, a Barra tem se consolidado como um dos locais com maior quantidade de opções de hospedagem da capital baiana. Juntando as opções existentes no seu vizinho, o bairro de Ondina, e também no do Rio Vermelho, essa região de Salvador também impressiona pela quantidade de bares e restaurantes que ajudam a agitar a vida noturna da cidade.


Final de tarde na praia de Porto da Barra, em Salvador
Final de tarde na praia do Porto da Barra. À esquerda, o forte de Santa Maria.

Final de tarde na Barra, em Salvador
Final de tarde na Barra 

É fácil perceber que grande parte das pessoas que transitam pelo bairro são turistas, mas os soteropolitanos também se fazem presentes, inclusive no próprio calçadão que, apesar de não ser dos mais amplos, é um dos espaços mais disputados sobretudo de manhã e ao final da tarde. Enquanto os visitantes caminham despretensiosamente, os moradores costumeiramente usam o espaço para praticar atividades físicas. 


Final de tarde na baía de Todos os Santos, em Salvador
Final de tarde na baía de Todos os Santos


Os fortes

Justamente pela localização privilegiada, na Barra foram construídos três fortes que ajudavam a proteger a cidade de Salvador quando ela ainda era capital do Brasil. O mais conhecido deles é o Forte de Santo Antônio da Barra, que é onde foi instalado o Farol da Barra. Por conta disso é que acabam por chamar o forte de farol, mas é bom esclarecer que elas são duas construções distintas. Esse forte é justamente a construção que divide oceano Atlântico da entrada da baía de Todos os Santos, então ele fica na "pontinha" da cidade. Esse é, sem dúvida, um dos principais atrativos turísticos da capital baiana e, além de ser possível visitar o seu interior, onde funciona o Museu Náutico, há alguns meses também se tornou possível visitar o farol em si. 


Forte de Santo Antônio da Barra e Farol da Barra ao final da tarde, em Salvador
Forte de Santo Antônio da Barra e o Farol da Barra após o pôr-do-Sol 

O forte de Santa Maria e o forte de São Diogo são os que delimitam as extremidades da praia do Porto da Barra. À esquerda, o Santa Maria chama a atenção e é uma ótima pedida para fotos. Dificilmente ele não sairá em uma fotografia panorâmica que mostre a praia. Já o de São Diogo, que fica na ponta direita, está mais integrado ao entorno urbano e, também por ser menor, não chama tanto a atenção. Entretanto, em se tratando desses dois ex-defensores da cidade, só último é aberto à visitação. 


Pôr-do-Sol na baía de Todos os Santos e forte de Santa Maria, na Barra, em Salvador
Pôr-do-Sol e forte de Santa Maria, na Barra 

Final de tarde na baía de Todos os Santos, na Barra, em Salvador
Final de tarde na baía de Todos os Santos e forte de Santa Maria


Enfim, o pôr-do-Sol

Se há um programa que normalmente agrada a todos, é apreciar esse espetáculo natural. E em Salvador ele pode ser visto de inúmeros "mirantes". Os mais conhecidos são o do Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM), o da Ponta do Humaitá, no bairro de Monte Serrat e, é claro, o que pode ser apreciado desde parte da orla da Barra. O que justifica essa gama de opções para se ver o espetáculo é a localização de parte da cidade que está voltada para a baía de Todos os Santos. Como exemplo, é basicamente o que acontece em Porto Alegre, com destaque para o pôr do Sol visto desde a Usina do Gasômetro. 


Pôr-do-Sol visto da Barra, em Salvador
Pôr-do-Sol na baía de Todos os Santos visto da Barra 

Em se tratando da Barra, um dos pontos mais procurados para a apreciação é aos pés do forte de Santo Antônio da Barra. Ali, habitualmente dezenas ou centenas de pessoas costumam observar, extasiadas, esse espetáculo que poucas vezes se "ausenta" e que não cobra para ser admirado. Ele também pode ser visto por toda a extensão da orla entre o dito forte e o de São Diogo, passando pela praia do Porto da Barra. É lá que muitas outras pessoas costumam observá-lo, seja desde a areia ou a partir do parapeito do calçadão. Enfim, nessa cidade, lugar para apreciação é o que não falta, e como tem que ser, ao final de qualquer espetáculo, o protagonista, que no caso é o Sol, costuma ser aplaudido pelos espectadores. Lindo, não?! 

Não deixe de ter essa experiência! ;)


Forte de Santo Antônio da Barra e Farol da Barra ao pôr-do-Sol, em Salvador
Forte de Santo Antônio da Barra e Farol da Barra ao final da tarde


Pôr-do-Sol na baía de Todos os Santos, em Salvador
Final de tarde na baía de Todos os Santos